A maçã

  • Spotify73
  • apple73
  • deezer73
  • facebook73
  • youtube73

TALIS SILVA

Mãe Zefa de valia, lhe faltou a sorte

Findou sua Maria, a alegria se acabou

Aparentemente era um terreiro forte

Porém surgiu morte e tudo se aclarou

Em pedra branca a tristeza e o tormento

No desalento alguém profetizou

É com o amor que se constrói o mundo

Ele disse no segundo em que se apaixonou

Chico Santana | pandeiro

Daniel Zacharias | cavaquinho

Felipe "Bemol" Guimarães | violão 7 cordas

 

CAETANO VELOSO​

Todo dia, toda noite, toda hora, toda madrugada, momento e manhã
Todo mundo, todos os segundos do minuto, vive a eternidade da maçã
Tempo da serpente nossa irmã, sonho de ter uma vida sã

Quando a gente volta o rosto para o céu e diz olhos nos olhos da imensidão:
"Eu não sou cachorro não!", a gente não sabe o lugar certo de colocar o desejo

Todo beijo, todo medo, todo corpo em movimento está cheio de inferno e céu
Todo santo, todo canto, todo pranto, todo manto está cheio de inferno e céu
O que fazer com o que Deus nos deu? O que foi que nos aconteceu?

Quando a gente volta o rosto para o céu e diz olhos nos olhos da imensidão:
"Eu não sou cachorro não!",  a gente não sabe o lugar certo de colocar o desejo

 

Todo homem, todo lobisomem sabe a imensidão da fome que tem de viver
Todo homem sabe que essa fome é mesmo grande,  até maior que o medo de morrer
Mas a gente nunca sabe mesmo o que é que quer uma mulher

Igor Brasil | guitarras

Ivan Gomes | baixo acústico

Júlio Agustín Coviello | bandoneón

Rafael "Chicão" Montorfano | piano

Pedro Prado | bateria

arranjo | Ivan Gomes

 

BRUNA PRADO

Não pense no seu amor como alguém que veio lhe dar segurança

Amar é andar em par sobre uma corda bamba

Então, meu bem, não se apóie que, como você, seu amor também cai

Não ponha no altar porque um dia ele desce e se vai

 

Vai, amor...

Não, não olhes para trás

O que já foi não se desfaz

Não apagam os erros os nossos acertos, vai...

Eu sei que o amor é um jogo e quem vai deixa sombra debaixo da porta,

Quem perde é bom jogador, aprende com a derrota...

Alfredo Castro | percussão

Chico Santana | percussão

Daniel Zacharias | cavaquinho

Felipe "Bemol" Guimarães | violão

Ivan Gomes | baixo acústico

Luísa Toller | coro

Maria Beraldo Bastos | clarinete

Marina Beraldo Bastos | flauta e coro

Pedro Prado | bateria

arranjo | Ivan Gomes

 

CARLOS ALMARÁN

Ya no estás a mi lado, corazón,
En el alma sólo tengo soledad
Y si ya no puedo verte,
Porque dios me hizo quererte
Para hacerme sufrir más?

Siempre fuiste la razón de mi existir,
Adorarte para mí fue religión.
Y en tus besos yo encontraba
El calor que me brindaba,
El amor y la pasión.

Es la historia de un amor,
Como no hay otro igual.
Que me hizo comprender,
Todo el bien, todo el mal,
Que le dio luz a mi vida,
Apagándola después
¡ay, qué vida tan oscura
Sin tu amor no viviré!

Es la historia de un amor

Chico Santana | percussão

Juan Pablo de Mandonza | violão e coro

Natan Oliveira | trompete

Paulo Kishimoto | tres, baixo acústico, coro, percussão e arranjo

 

RAUL SEIXAS | MARCELO MOTTA | PAULO COELHO

Se eu te amo e tu me amas, um amor a dois profana o amor de todos os mortais

Porque quem gosta de maçã irá gostar de todas porque todas são iguais.

Se eu te amo e tu me amas e outro vem quando tu chamas,

Como poderei te condenar?

Infinita é tua beleza, como podes ficar presa que nem santa no altar?

 

Quando eu te escolhi para morar junto de mim

Eu quis ser tua alma, ter seu corpo, tudo, enfim

Mas compreendi que, além de dois, existem mais

Amor só dura em liberdade, o ciúme é só vaidade,

Sofro, mas eu vou te libertar.

O que eu quero se eu te privo do que eu mais venero que é a beleza de deitar?

Se esse amor ficar entre nós dois, vai ser tão pobre, amor,

Vai se gastar...

Daniel Zacharias | violões

Igor Brasil | guitarras

Ivan Gomes | baixo elétrico e celesta

Maria Beraldo Bastos | clarinete

Rafael "Chicão"Montorfano | piano elétrico

Pedro Prado | bateria

arranjo | Ivan Gomes

 

BRUNA PRADO

O amor quando é grande não cabe em dois corações

Transborda pra três, pra quatro, cinco e cuida de todos com o zelo de uma mãe

O sorriso quando é grande consegue qualquer perdão

Quem nunca teve ao mesmo tempo três amores

Desconhece as dores de escolher pela razão

Alfredo Castro | percussão

Chico Santana | percussão

Daniel Zacharias | cavaquinho, violão e coro

Felipe "Bemol" Guimarães | violão 7 cordas e coro

Ivan Gomes | baixo elétrico

Lê Coelho | coro

Luísa Toller | coro

Marina Beraldo Bastos | coro

Pedro Prado | bateria

arranjo | Ivan Gomes