05/09/2014

Entrevista para o site Na Vitrola

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"No instante em que a música começa, você fica pensando se tem alguma coisa errada. Será algum defeito do player, ou do próprio CD. O som que sai nas caixas parece aos daqueles rádios antigos. Antes da existência da televisão era o aparelho que não poderia faltar nas residências. Era desse modo que a maioria das pessoas conheciam as vozes de seus ídolos, fosse na cidade ou no mais longínquo rincão do Brasil por meio das ondas da Rádio Nacional.Ouvimos a voz de Bruna Prado cantando É com Amor Que Se Constrói o Mundo, de Talis Silva, como se estivéssemos ouvindo em um desses rádios antigos. Em tempos que a tecnologia evolui tão rapidamente, tudo é possível; até o de fazer uma gravação parecer às antigas. Quem teve um brilhante insight em usar de um recurso parecido foi Woody Allen em Manhattan (1979). Quando ninguém mais pensava em filmar em preto e branco, Allen o fez. Óbvio que depois dele outros fizeram o mesmo.Mas o recurso que Bruna utiliza não é gratuito. É o seu olhar para o passado vislumbrando o futuro. Diferentemente de muitos cantores que surgem ou estão estabelecidos, gosta da pesquisa. Tanto é que formou-se e fez mestrado na Unicamp. Sua dissertação é sobre Geraldo Filme, sambista paulista pouco conhecido. Seu universo, no entanto, não se restringe à música brasileira. É o que fica evidente na segunda faixa do CD A Maçã.Pecado Original, de Caetano Veloso, recebe um arranjo excepcional com bela guitarra de Igor Brasil e o bandonéon importado do argentino Julio Agustín Coviello. Não é só o pecado que é original.Ouça Pecado Original.Na terceira faixa (Samba da Partida) revela-se a Bruna compositora. E aqui, revela-se que não é apenas boa cantora. E mais: boa letrista, com sacadas interessantes. “Amar é andar em par sobre uma corda bamba/ Então, meu bem, não se apoie, que como você/ Seu amor também cai.” Inteligentemente, já que se fala de amor, nada melhor que um bolero. Engendra com Historia de un Amor, de Carlos Almarán. Esse é um clássico.Ouça Samba da Partida.O amor continua em pauta na música que dá título ao disco. A Maçã é um original de Raul Seixas e de seu parceiro hoje famoso em outras plagas: Paulo Coelho. Bianca, a que fecha o CD, composição de Bruna, no fundo trata de algo que possui alguma semelhança com a anterior. As duas falam do “amor grande”, do “amor que não é de um só”. A “maçã” de Coelho são “várias maçãs”: “Se eu te amo e tu me amas/ Um amor a dois profana/ O amor de todos os mortais/ Porque quem gosta de maçã/ Irá gostar de todas/ Porque todas são iguais.” Bruna, em Bianca, canta “O amor, quando é grande/ Não cabe em dois corações/ Transborda para três, pra quatro, pra cinco/ E cuida de todos com zelo de uma mãe.”Preste atenção no arranjo originalíssimo de A Maçã.Musicalmente, Bruna é original. Os arranjos não têm nada da pasteurização reinante. Incorpora elementos de várias culturas. Ora é rock, pop, MPB, é um pouco como o amor que tratam as duas últimas músicas do CD. Ela não se prende em preconceitos. Por tudo isso, vale muito a pena conhecer o trabalho de Bruna Prado.Show de lançamento. Quer conhecer o trabalho de Bruna Prado? Vá ao lançamento do CD no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos. Atenção: Shopping Villa-Lobos. Não confunda com a Livraria Cultura da Al. Santos. É neste sábado (13/9), às 20h30."

 

Link: http://guenyokoyama.blogspot.com.br/2014/09/a-bela-estreia-de-bruna-prado.html

 

 

01/08/2014

Metrô News

 

Bruna Prado faz show de abertura da festa "Samba no Bexiga", de lançamento do clipe "O Cara do Bar", de Lê Coelho e os Urubus Malandros, com participação de Zeca Baleiro

 

Link: http://issuu.com/folhametronews/docs/metronews-01-08-14

13/09/2014

Mônica Bergamo

Ilustrada - Folha de São Paulo

CURTO-CIRCUITO

 

"A cantora Bruna Prado faz show de lançamento do CD "A maçã", hoje, às 20 h, na Livraria Cultura do shopping Villa-Lobos. Grátis."

 

Link:http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/185314-monica-bergamo.shtml

 

09/09/2014

"A BELA ESTREIA DE BRUNA PRADO"

Por Guen Yokoyama

 

 

 

27/05/2014 

BRUNA PRADO LANÇA A MAÇÃ
por Naira Marcatto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Olhos e ouvidos mais atentos ao cenário da canção de vanguarda já devem ter notado a movimentação crescente de intérpretes que pipoca hoje em dia. E é sob a batuta da originalidade interpretativa que chega ao mercado neste mês de maio A maçã, disco de estreia da cantora e compositora carioca Bruna Prado.


A maçã, que já foi símbolo de fertilidade no paganismo germânico, de amor na mitologia grega, e de pecado para os cristãos, revela-se a imagem perfeita para batizar o conteúdo desta obra. Em seis faixas, o disco narra o feminino evocando a traição, a resignação e a libertação como temas norteadores de sua proposta narrativa, contada pela outra clara imagem da diva que se desconstrói.

Se por um lado A maçã traz a marca da interpretação, também apresenta uma cantora-compositora-carioca-de-sambas-paulistas. Especialista no assunto pela UNICAMP, Bruna traz um certo formalismo, inerente aos conhecedores, ao tematizar o álbum. A primeira faixa, É com amor que se constrói o mundo (Talis Silva), acaba espelhando o universo sobre o qual a cantora se solidifica, com referências tecnológicas e interpretativas ao samba-canção da década de 40. Destacam-se Pecado Original, a clássica composição de Caetano Veloso e a releitura de A maçã, de Raul Seixas, completamente fora do lugar-comum. Como compositora, há de se notar a inteligência melódica e o texto-conselho de uma grande mulher a todos os amantes em Samba da Partida.

Concebido pela cantora ao lado de Ivan Gomes e produzido por ele e por Paulo Kishimoto, A maçã é um disco sólido, pensado, inteligente e bem dirigido que passeia entre o hoje e o ontem sem inventar modismos, onde a interpretação pura e simples dialoga plenamente com a composição de modo harmônico e definitivo. É um disco de compositora que é intérprete e de intérprete que compõe enquanto canta. Por quê ouvir?! Porque vivemos a profícua era dos poucos-bons. E Bruna é única. Taí a explicação."

 

Link: http://www.navitrola.com.br/materia/20140527/bruna-prado-lanca-a-maca

 

 

 

 

 

 

28/03/2016

Mangroove - Por Gustavo Barretto

 

Conheça a mistura sonora presente no som da banda ÈKÓ Afrobeat

 

Representantes do legado musical elaborado por Fela Kuti, Antibalas, Cacique 97, Fanga, Sean Kuti, Ebo Taylor, Gilberto Gil, entre outros, o grupo ÈKÓ Afrobeat propaga a mensagem da sonoridade africana, sem deixar de lado as raízes tupiniquins. Escrita por Bruna Prado e Igor Brasil, o single Enemy, inspirado no clássico tema Water No Get Enemy, do mestre Fela, manda o papo reto sobre a massa de manobra que fala muito a respeito de política e outros temas na rede social, mas que não tem vivência nenhuma para debater os assuntos fora da internet. O primeiro disco do combo paulistano, gravado no QG do estúdio El Rocha, em São Paulo, tem data de lançamento para o primeiro semestre deste ano. Então chega mais no playporque o conteúdo é cabuloso. “Enquanto o tolo fala, o sábio escuta e guarda…”.

 

http://mangroovee.com/conheca-mistura-sonora-presente-no-som-da-banda-eko-afrobeat/